Técnica de reciclagem com espuma de asfalto é implantada com perfeição na recuperação da Rodovia Ayrton Senna SP-070

A obra de recuperação da Rodovia Ayrton Senna SP-070, iniciada em junho e concluída em novembro de 2013, foi uma das primeiras no Brasil a utilizar a técnica de espuma de asfalto com material asfáltico fresado (RAP) em usina a frio.

A rodovia, que liga a cidade de São Paulo a Campos do Jordão, Vale do Paraíba e Rio de Janeiro, recebe uma média diária de 90 mil veículos em cada direção. Bem como é principal acesso ao Aeroporto Internacional de Guarulhos.

A melhoria pode ser notada em ambos os sentidos no trecho, de aproximadamente 35 quilômetros, entre os km 11 e 46, da SP-070. Devido ao grande tráfico na rodovia, o pavimento, que consistia em uma camada de base tratada com cimento, estava completamente deteriorado.

A reciclagem e espuma de asfalto, produzida na usina de reciclagem a frio móvel Wirtgen KMA 220 foi a técnica de recuperação que apresentou melhor resultado. A escolha se deu após diversas seções experimentais abrangendo várias tecnologias e estudos, ao longo de 12 meses, realizados pela Fremix Engenharia e Comércio Ltda., empreiteira responsável pela execução da obra, juntamente com a Ecopistas, concessionária responsável pela gestão e manutenção da rodovia.

O projeto

O projeto estrutural foi preparado pela Loundon International, sob a responsabilidade do Engenheiro Dave Collings. Os projetos da mistura foram desenvolvidos pela empresa JBA Engineering and Consulting Ltda. (também com técnicos da Loundon International), e a execução da construção ficou a cargo da Fremix Engenharia e Comércio Ltda.

O projeto foi realizado com material 100% fresado sendo que a britagem foi realizada pelo britador de impacto de última geração Kleemann MR 110 Z EVO. Já a reciclagem do material retirado da via ficou a cargo da usina de reciclagem a frio móvel Wirtgen KMA 220 onde, em uma câmara especial é produzida a espuma de asfalto.

Segundo Juliano Gewehr, especialista de Produtos da Ciber Equipamentos Rodoviários, “a reciclagem utilizando a usina misturadora a frio permite a total reutilização do material da pista danificada, também com possibilidade de reforça-los com novos materiais, tais como agregados, cimento e até mesmo restos de demolição da construção civil visando prolongar a vida útil do pavimento”, explica.

Procedimento

A reconstrução foi executada em duas camadas, sendo a primeira a compactação das camadas de RAP (material asfáltico fresado) onde foram usados o rolo compactador Hamm 3411 P e rolo tandem Hamm HD 90, e a segunda foi compactada apenas com o rolo tandem HD 90.

Uma camada fina de mistura asfáltica com Granulometria Descontínua foi colocada acima da camada reciclada.

De acordo com Elio Cepollina Junior, diretor Comercial da Fremix, a maior vantagem desta tecnologia foi permitir uma liberação rápida do tráfego imediatamente após a compactação, “Entre o limite da cidade de São Paulo e o aeroporto, nenhuma pista poderia permanecer fechada ao tráfego durante o dia, devido à grande quantidade de veículos. Assim sendo, a obra foi realizada durante a semana à noite e aos finais de semana”, complementou.

Apesar da limitação de tempo a produção média durante a noite foi de 120 metros e, aos finais de semana, de até 500 metros (pista com uma largura de 4 metros).

Equipamentos

Ao todo, oito equipamentos do Grupo Wirtgen trabalharam na obra, entre eles a pavimentadora de asfalto Vögele 1800-2 Spray Jet, que aplica simultaneamente a emulsão asfáltica de ligação – material que promove a aderência entre a camada de base com a nova camada asfáltica.

Usina misturadora móvel para reciclagem a frio Wirtgen KMA 220

Com capacidade de produção de 220 t/h, a usina de reciclagem a frio produz misturas a frio de agregados e materiais asfálticos fresados com adição de diferentes agentes ligantes tais como cimento, emulsão betuminosa ou espuma de asfalto. Montada em um semirreboque o acionamento ocorre pelo próprio motor, movido a diesel. Graças ao design móvel compacto, o transporte e montagem são realizados de forma fácil e rápida no local da obra.

Britador móvel de impacto Kleemann MR 110 Z EVO

O britador de impacto Kleemann é montado em chassi sobre esteiras, o que permite grande adaptabilidade. Com capacidade de 350 t/h, pode ser utilizado tanto para processar pedras naturais quanto asfalto fresado e resíduos de demolição da construção civil, produzindo produtos finais de altíssima qualidade. Possui ajuste hidráulico de espaçamento, com peneira de duplo deck independente. Opcionalmente pode ser instalada uma peneira final com transportador de retorno para os agregados que estejam fora da granulometria especificada em projeto.

Rolo compactador Hamm 3411 P

Além do assento ergonômico do operador, o rolo 3411 P, permite uma vista panorâmica perfeita para a operação. Composto por um chassi articulado de três pontos que garante segurança e conforto, o rolo ainda contém direção hidrostática, tração de fábrica para superação de aclives, dupla frequência e amplitude de vibração, maior área de pata do mercado que garante maior compactação com menor número de passadas em solos coesivos, simples manutenção e longos intervalos entre assistências.

Pavimentadora de asfalto Vögele Super 1800-2 com módulo Spray Jet

Modelo de pavimentadora especial, a Super 1800-2 com módulo SprayJet aplica a emulsão asfáltica de ligação simultaneamente à pavimentação. Com largura de trabalho de até 6,0 metros, é equipada com tanque de emulsão de 5.000 litros que permite taxa de aplicação de até 1,6 kg/m², através de barras aspersoras. Mesa compactadora dotada de tamper e placas vibratórias que garante uma ótima pré-compactação da camada asfáltica final.

Rolo Tandem HD 90

Com um posto de operação ergonômico, incluindo volante e painel de instrumentos rotativos e deslocáveis. Com ampla visibilidade sobre a superfície dos cilindros dianteiro e traseiro, as respectivas extremidades exteriores e o campo de trabalho. Dois tanques com alta capacidade de armazenamento de água para a limpeza constante dos cilindros.

Rolo Pneumático Hamm GRW 280-16

Equipado com oito pneus sobrepostos, o rolo GRW 280-16 possui sistema de controle de pressão dos pneus e soma de aditivos antiaderentes, ambos com acionamento pelo painel de operação. Janelas laterais no chassi permitem a visibilidade das extremidades dos pneus. O posto do operador é deslocável por trilho, com giro de até 90 graus do assento. O peso operacional máximo é de 24.000 kg, podendo chegar a 28.000 kg com lastros especiais de fábrica.

Voltar à visão geral

EN FR ES PT