Ciber conquista Prêmio Exportação RS

A metade do faturamento da Ciber vem das exportações. “Nossa linha de produtos é diversificada e feita sob medida para operar nos mais diversos terrenos e em condições climáticas muito adversas, seja em grandes altitudes como na Cordilheira dos Andes ou em regiões inóspitas como Ushuaia, no sul do continente latino-americano ou em regiões bem quentes como o deserto do Saara”, explica o diretor-presidente Walter Rauen. Na América Latina, por exemplo, a empresa conta com 13 representantes para dar suporte comercial, de serviços e peças de reposição e atendimento (pós-vendas).

Há quatro anos a Ciber entrou no mercado africano com uma firme política de vendas cujo resultado pode ser mensurado hoje através do número de equipamentos em operação: mais de 40 unidades que estão trabalhando na construção e manutenção de estradas. O maior volume de exportações é representado pelos equipamentos para preparação de bases e produção de misturas asfálticas que estão presentes em vários países, como na Argentina, Colômbia, Peru, Venezuela, Bolívia, Chile, Equador, Guatemala, Honduras, Panamá, México e na África (Argélia, Angola, República de Camarões, Guiné Equatorial, Lesoto, Líbia, Tanzânia e África do Sul).

A Ciber, que completou 50 anos em maio/08, agrega também o design funcional e desenvolve máquinas que respeitam o meio ambiente. “Pesquisamos muito para entregar ao mercado produtos que preencham as necessidades. O resultado das pesquisas, por exemplo, está nas 15 patentes que a Ciber registrou, na maioria para usinas de asfalto”, afirma o diretor-presidente.

EN FR ES PT